O que foi o Iluminismo? | Ciência ao vivo


Enquanto o Iluminismo do final dos séculos XVII e XVIII foi um período em que a ciência floresceu e ocorreram revoluções nos Estados Unidos e na França, também foi o tempo em que milhões de pessoas foram escravizadas e transportadas da África para o Hemisfério Ocidental.

Pode ser útil "pensar no Iluminismo como uma série de problemas e debates interligados e às vezes conflitantes", escreveu Dorinda Outram, professora de história da Universidade de Rochester, em seu livro "O Iluminismo: Terceira Edição" (Cambridge University Press , 2013).

Grandes ideias

"O termo inglês Iluminismo é em si uma tradução, cunhada no final do século 19, de dois termos distintos, ambos em uso no século 18: o termo francês lumières e o alemão Aufklärung. Os dois têm em comum a idéia de 'luz, ", escreveu John Robertson, professor de história do pensamento político da Universidade de Cambridge em seu livro" O Iluminismo: Uma Introdução Muito Curta "(Oxford University Press, 2015).

Neste chamado tempo da luz, várias idéias importantes se tornaram populares. Havia um crescente ceticismo em relação aos monarcas, particularmente a idéia de um monarca absoluto – alguém que pudesse fazer leis por capricho. Também havia um apoio crescente às liberdades e liberdades individuais. "Os palácios dos reis são construídos sobre as ruínas dos caramanchões do paraíso", escreveu Thomas Paine (1737-1809) em seu panfleto "Common Sense" (publicado em 1776).

Essas idéias ajudaram a estimular a Revolução Francesa (1789-1793), durante a qual os franceses O rei Luís XVI foi decapitado e uma república foi fundada na França. Luís XVI e seus ancestrais haviam governado a França como reis absolutos dos opulentos palácio de Versailles, que serviu como um emblema do poder do monarca francês. O ceticismo da monarquia também cresceu nos Estados Unidos, o que resultou em uma república depois de expulsar os britânicos durante o Guerra Revolucionária dos EUA (1775-1783).

Estátua de Thomas Paine, um dos líderes do movimento iluminista, na cidade de Thetford, Norfolk, Inglaterra.

(Crédito da imagem: Shutterstock)

No início desse período, as pessoas também estavam se cansando das autoridades religiosas com forte poder político, e a idéia de liberdade religiosa estava se tornando cada vez mais popular. A Paz da Vestfália, a série de tratados de paz que encerraram a Guerra dos Trinta Anos em 1648, viu uma redução no poder do papa em toda a Europa. Essa redução no poder religioso continuou no século 18, particularmente durante a Revolução Francesa. Além disso, quando os EUA se tornaram independentes, recusou-se a adotar uma religião nacional, declarando na constituição que "o Congresso não fará nenhuma lei respeitando um estabelecimento de religião ou proibindo o livre exercício do mesmo".

Esse período também viu um crescente interesse em entender e usar a ciência, em vez da religião, para explicar os fenômenos naturais. Isaac NewtonDaniel Fahrenheit, Benjamin Franklin e Alessandro Volta são apenas alguns dos cientistas e inventores que floresceram durante o Iluminismo. Suas descobertas – como avanços na compreensão eletricidade – ajudou a pavimentar o caminho para a revolução industrial e as tecnologias usadas no mundo em que vivemos hoje.

O desenvolvimento de novas instituições dedicadas ao avanço da ciência alimentou a difusão do conhecimento por toda a Europa. E com técnicas novas e mais eficientes de impressão, disseminar informações ficou mais fácil e mais barato do que nunca. Por exemplo, os volumes da Enciclopédia publicados na França entre 1751 e 1772 continham uma grande quantidade de informações e atraíram milhares de assinantes na França e além. As cafeterias se tornaram moda na Europa e, pelo preço de uma xícara de café, uma pessoa que visitava uma cafeteria podia ler o material disponível, como jornais e romances ficcionais – tornando o material escrito mais acessível a todos os membros da sociedade.

Ilustração de Isaac Newton que examina a luz que passa através de um prisma.

(Crédito da imagem: Shutterstock)

Havia também um maior interesse em economia. Mais notavelmente, o filósofo escocês Adam Smith publicou seu trabalho "Uma investigação sobre a natureza e as causas da riqueza das nações" em 1776. Neste livro crucial, Smith examinou como os mercados funcionam e era crítico do mercantilismo – um sistema econômico usado em grande parte da Europa tendia a criar tarifas altas, portanto sufocando o comércio entre os países. Alguns especialistas consideram Smith o fundador da economia moderna.

Mais pessoas também estavam se tornando críticas à guerra e tortura. O escritor francês Voltaire (1694-1778) falou contra esses males em seu famoso romance "Candide", publicado em 1759. O protagonista do romance, Candide, experimentou amor e romance no início de sua vida, depois é forçado a participar uma guerra em que ele aprende em primeira mão sobre a crueldade e tortura que gera.

Escravidão

Enquanto o Iluminação Foi um período em que os cafés, os avanços científicos e o ceticismo em relação aos monarcas e à religião floresceram, foi também um período em que o comércio de escravos floresceu. Milhões de pessoas foram escravizadas e transportadas à força da África para o Hemisfério Ocidental. Muitos deles não sobreviveram à jornada nas condições apertadas dos navios negreiros, e muitos outros morreram nas duras condições de trabalho que encontraram no Hemisfério Ocidental. Viagens de navios negreiros contínuo até o século XIX.

Até Thomas Jefferson, ex-presidente dos EUA e principal autor da Declaração de Independência dos EUA, possuía escravos, apesar de ter sido influenciado pelo Iluminismo e escreveu que "todos os homens são criados iguais" na Declaração de Independência.

Outram escreveu que parte da razão pela qual a escravidão floresceu foi por causa da grande quantidade de dinheiro que poderia ser feita com ela. Os proprietários de plantações no sul dos Estados Unidos, Caribe e América do Sul usavam trabalho escravo para obter lucros. Os da indústria da construção naval responsáveis ​​pela construção e manutenção dos navios negreiros também se beneficiaram financeiramente, assim como as empresas financeiras que emprestaram dinheiro para financiar o transporte de escravos.

Ilustração que descreve o rapto cruel de homens e mulheres africanos por comerciantes de escravos durante o período do Iluminismo. Apesar do objetivo de independência e liberdade do movimento, a escravidão floresceu.

(Crédito da imagem: Shutterstock)

O Terror

A Primeira República Francesa também tinha políticas que contradiziam as idéias do Iluminismo. Entre 1793 e 1794, um período chamado "terror" ocorreu na França.

Durante esse período, o incipiente governo da França temia que fosse derrubado e, portanto, prendesse e executasse o maior número possível de inimigos percebidos, o que resultou na execução de milhares de pessoas. O episódio prejudicou o governo e ajudou a pavimentar o caminho para a ascensão de Napoleão Bonaparte, que acabaria por se tornar imperador da França.

Recursos adicionais: